67- Seja governado pela paz de Deus

Seja governado pela paz de Deus

       Muitas vezes ao tentar descobrir qual é a vontade de Deus para as nossas vidas, nos achamos em uma batalha para ouvi-Lo. Algumas vezes é difícil distinguir a voz de Deus por termos cauterizado a nossa consciência com a desobediência; outras vezes, foi simplesmente pelo fato de possuirmos tantas outras vozes dentro de nós, que ficam  tentando nos dizer o que fazer, que ficamos paralisados. Quantas vezes você já pensou que havia ouvido a Deus, mas não tinha certeza se era realmente Ele? E hesitou em fazer algo devido a incerteza? Talvez você tenha tentado seguir as instruções que você achava que vinham de Deus e descobriu que não eram Dele na verdade. Circunstâncias podem ser tão intimidadoras que é difícil saber qual é a Verdade.

       Como você, no passado, eu também me encontrei em uma batalha para ouvir a voz de Deus. Eu desejava ter um telefone vermelho,  que viesse diretamente do Céu, pois dessa maneira eu nunca teria que questionar se era Deus que estava falando comigo. Por que é tão difícil, às vezes, ouvir a Sua voz? Eu acredito que cada um de nós obedeceria alegremente tudo o que estivesse ouvindo da parte do Senhor se soubéssemos, sem sombra de dúvida, que fosse Ele falando. Um vozeirão vindo do alto seria bom, ou mesmo a visita de um anjo. Se tivéssemos a certeza de que era Ele falando conosco, com certeza,  iríamos obedecer a instrução.

       Há um lugar, no espírito do homem nascido de Deus, onde  Deus fala. E todo aquele nascido Dele tem condição de ouví-Lo com precisão.

       Saiba que temos muitas vozes em nosso  interior que gostam de se pronunciar em tempos de decisões. Mas a voz que desejamos ouvir é a que vem do nosso espírito, mas temos que saber que também existem as vozes da nossa carne, do nosso intelecto, das nossas inseguranças, e até mesmo a do diabo. A voz mais alta , geralmente,  surge das nossas emoções. As emoções fazem parte da nossa alma natural e frequentemente  as nossas ações são ditadas por elas. Talvez em algum momento de sua vida, você  tenha reagido de maneira inconseqüente, quando se sentiu ofendido, ou magoado, ou teve raiva, ou se sentiu injustiçado, usado,  e tal atitude lhe trouxe muito dissabor.

       Quando eu descobri pela primeira vez o poder que as minhas emoções tinham sobre mim, eu já estava no Ministério por alguns anos. Levei um tempo para descobrir que estava mesmo em uma luta. Eu estava bem no meio de uma decisão transformadora de vida e a batalha entre qual voz eu ouviria havia começado. O primeiro problema era que eu não sabia que eu estava em uma luta. Eu pensei que havia ouvido Deus e estava pronto para mudar tudo com base no que ouvi.  E fiquei chocado quando descobri que não era Ele, mas sim, as minhas emoções que estavam falando comigo. Elas estavam gritando tão alto no meu interior que eu pensei que era a voz de Deus.

       Eu estava envolvido com um Ministério há pouco mais de três anos, quando fui atacado pela insatisfação. Nada havia mudado; as pessoas ao meu redor eram as mesmas, e eu também estava fazendo as mesmas coisas, mas de repente eu não queria mais estar lá. Eu não podia culpar nenhuma coisa ou ninguém, por aquilo que estava acontecendo comigo, dentro de mim,  mas  o fato era que eu não queria mais me levantar e ir trabalhar. Parecia que estava envolto por uma neblina, sentia-me deprimido a cada momento, a cada dia. Nada parecia me incentivar. Mesmo as atividades e os amigos que costumavam me levantar não resolveram o problema. Meus amigos poderiam dizer que algo estava errado comigo, mas eu não disse nada a eles. Eu finalmente concluí que a minha insatisfação era um sinal de Deus e que era hora de mudar.

       A voz mais alta que você pode estar ouvindo nem sempre é Deus. Como eu  tinha um sonho de voltar para o Canadá  e  começar a ministrar, deduzi que havia chegado o momento. Eu realmente acreditava, com todo o meu coração, que Deus estava me dizendo que chegara a hora da mudança. Eu cheguei até a  pensar que Deus havia me dito para qual cidade eu deveria ir.

        E acabei verbalizando isso para um amigo, dizendo-lhe que Deus tinha falado comigo e que Ele estava me preparando para mudar de cidade e assim,  iniciar o meu ministério, em breve. Eu não percebia o quanto emocionalmente envolvido eu me encontrava. Nossas emoções podem ser vozes poderosas em nossas vidas. Lembre-se sempre de que é você quem deve estar no comando de suas emoções e não o contrário.

       Defini uma data particular para sair e estava me preparando para entregar a minha demissão. No entanto, houve um pequeno problema:  no meu íntimo, eu não sentia paz. Mesmo sentindo um bem estar quando imaginava a minha partida daquele lugar, em vista desse pensamento trazer muitas emoções com ele, eu estava desconfortável o tempo todo. Eu estava vivendo como num furacão e tudo parecia confuso. Por fim,  tomei uma decisão sábia, naquele momento. O pensamento de mudar a minha situação parecia ser a resposta. Apenas a idéia de mudar as coisas ao meu redor,  me fazia sentir-me bem, mas eu havia feito um acordo com Deus, porque mesmo querendo encontrar um pouco de sanidade em minha batalha, eu não queria sair da vontade  Dele.

       Eu disse a Deus que, apesar de todo o meu coração acreditar que era a vontade Dele que eu fosse embora, eu não iria agir até que  sentisse paz. Eu escolhi não tomar a decisão em meio àquele  turbilhão, mas somente tendo paz. Isso estendeu-se por  cerca de três meses. Eu permanecia levantando todos os dias e indo trabalhar. Ensinava no Colégio Bíblico na época. Eu temia todos os dias e todas as noites. O fato era de que  simplesmente  não conseguia encontrar satisfação em nada. Foi quando a minha vitória veio, era o primeiro dia do ano novo. Naquela manhã  acordei  e tudo estava calmo.

       Eu estava de volta a mim mesmo e havia ansiado por esse dia. Eu tinha finalmente encontrado a paz que  estava procurando.  Descobri que a paz não apareceu porque  alguma coisa havia mudado; ela sempre esteve lá, o tempo todo.

       Minhas emoções estavam gritando tão alto, que eu simplesmente não conseguia perceber, que  já estava na perfeita vontade de Deus. A paz sempre esteve lá, mas somente quando finalmente superei as minhas emoções é que  fui capaz de ouvir claramente a Sua direção.    Hoje entendo que a minha simples decisão em esperar para ter mais clareza, mais convicção,   salvou-me de fazer uma escolha terrível. Aprendi uma lição valiosa com tudo isso. Deus começou a me ensinar sobre obediência. Descobri que  estava num teste,  numa provação e não havia  percebido. Eu estava sendo testado pelo inimigo. O diabo queria ver se eu responderia aos meus sentimentos ao invés de responder à voz Dele. O inimigo estava tentando me controlar através da depressão. Nunca tome uma decisão quando estiver sob pressão. Espere até que você saiba que é Deus, e não você.

       Agora eu entendo que no meio do turbilhão nunca devemos tomar uma decisão e nunca devemos confiar no que estivermos sentindo, mas devemos estar confiantes no caminho em que Deus nos colocou.

       Comecei a ensinar aos meus alunos, que jamais devemos tomar uma decisão  por causa de  uma  oportunidade surgida ou porque nos sentimos frustrados. Precisamos ser obedientes ao que Deus nos diz.     Se todos nós vivermos sob esse padrão, só seremos liderados pela calma e suave voz de Deus, em nosso interior. Caso contrário,  seremos gerenciados pelo diabo e iremos nos submeter às emoções, e não a Deus.

       Portanto sempre espere até que a paz o envolva, então você poderá ouvir a Sua voz. O diabo tem tentado esses truques desde então, mas agora estou mais esperto. Se você estiver vulnerável às  emoções, o inimigo continuará agitando as circunstâncias para fazê-lo  se mover na direção que ele planeja que você vá. É por isso que é tão importante o compreender e o conquistar as nossas emoções. Vamos nos tornar incontroláveis para o diabo e guiados pelo Espírito!

       Enquanto eu estava supervisionando o Colégio Bíblico, lembro-me de ter recebido um telefonema de um homem que queria vir para a escola em setembro. Faltava ainda uns três meses para o início das aulas e ele queria saber se o seu pedido seria aceito.  Ele me informou que há alguns anos  ele havia feito a sua inscrição e que fora aceito, somente desejava saber se a sua inscrição ainda era válida.

       Procurei os seus documentos no arquivo e os analisei. No papel, ele parecia ser  um grande candidato para a escola. Solicitei uma nova referência ao seu pastor e  disse-lhe  que ele seria aceito. Então ele me contou a seguinte história: que nesses últimos três anos ele estava planejando participar do Ministério, se mudar e freqüentar a Escola. Mas algo estranho acontecia com as suas finanças. Todos esses  anos, bem antes de estar pronto para sair para a escola, as suas finanças desmoronavam e ele não conseguia cursar. Mas que agora  ele estava bem mais animado.  E disse-me: "Estou pronto para ir"! Fiquei ouvindo o relato,  e disse-lhe que esperava que ele viesse, mas que não acreditava que ele iria fazê-lo também  neste ano. Ele disse-me: "O quê ???? Sim, eu vou cursar! Tudo está em ordem agora e Deus me disse para mudar." Eu disse que acreditava que Deus lhe havia dito para vir à escola mas, que "aquela coisa mais estranha iria acontecer, bem antes dele estar pronto para sair e as suas finanças iriam desmoronar." Ele respondeu-me alegremente: "Eu vejo você em setembro!"

       Você percebe que  o diabo encontrou uma ferramenta para governar esse homem? A ferramenta foi o  medo. Se  tudo não estivesse em ordem, ele não iria seguir a voz de Deus. Assim, ano após ano, o diabo neutralizava-o com as emoções do medo e através das circunstâncias o impediu de obedecer a Deus. Ele nunca apareceu. Existem muitas emoções que estão firmadas em nossa alma carnal.

       O livro de Gálatas nomeia algumas como o ódio, contendas, ciúmes, explosões de ira, ambições egoístas, invejas. Estas não são de Deus e devemos enfrentar esses sentimentos como mentiras e não como sendo verdades.

       O medo, a intimidação e a solidão não provêem  de Deus, mas são emoções que estão agitando a sua alma, a fim de controlá-lo. Com algumas pessoas, quando as suas almas estão agitadas, a única coisa que elas fazem é se concentrar para fazer  o que for necessário para calá-las. Esse é o plano do inimigo: que você dê a direção  da sua vida à voz errada! Nós não só devemos aquietar essas vozes  provenientes da nossa alma e emoções, como devemos destruir a sua capacidade de nos governar. O plano de Deus é que você domine as  suas emoções e saiba como responder a elas; não o contrário. Davi nos diz como ele lidou com suas emoções no Salmo 131, versículos 1 e 2.

“SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim.”

       Ele se humilhou. Ele fez a escolha de seguir a Deus e parou de se preocupar com tudo o que estava acontecendo ao seu redor. No momento em que Davi deixou que Deus se encarregasse de tudo, ele foi liberto de ser controlado pelas circunstâncias.

“Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo.”

       Em seguida Davi lidou com a sua alma, como uma mãe faz quando  está desmamando um filho. Entenda que as suas emoções não querem ouvi-lo, não querem ouvir  a Deus, mas somente às circunstâncias.

       Sua alma quer seguir somente a vontade dela, mas você terá  que fazê-la ouvir a vontade de Deus! Isso cabe a você! 

       No momento em que conquistarmos as nossas emoções, nos tornaremos incontroláveis pelo diabo e gerenciáveis pelo Espírito de Deus. Foi somente depois que perseverei orando no Espírito Santo por uma temporada é que  vi o primeiro fruto dessa minha perseverança.  Comecei a ter  mais calma e fui deixando de ser tão impulsivo em minhas reações; parei de me mover tão rapidamente frente às minhas emoções carnais. Parei de ter dias bons e ruins;  passei a ter somente dias bons. Veja: você pode governar a sua alma e as suas emoções, por meio de seu espírito nascido de novo. Efésios 3: 16-17, nos instrui como: “Para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor,”

       Então, ao fortalecer o seu espírito (homem interior) através da prática da oração em línguas,  você estará caminhando para vencer esta batalha sobre qual voz é a mais alta em sua vida. Você pode se sentir perdido e algumas vezes fraco e fora de controle, mas no entanto, estará tudo bem.

       Lembre-se de que esses sentimentos são uma mentira e que não procedem do seu "eu" verdadeiro. A paz ainda está dentro de você, esses sentimentos de fracasso estão apenas falando mais alto. Mas ao continuar a orar no Espírito Santo você estará fortalecendo o seu homem interior e isso irá dar-lhe o poder de que você necessita para  governar as suas emoções.

       Seu amigo,

                                                                                   AlanTaylor

Imprimir Email

Offcanvas

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Download Free Premium Joomla Templates • FREE High-quality Joomla! Designs BIGtheme.net