95- Conhecendo o Pai como seu Pai

Conhecendo o Pai como seu Pai

 

       Assisti a minha esposa Christy, percorrer um restaurante perseguindo o nosso pequeno filho, e a cena era engraçada. Estávamos nos preparando para sair e quando ele viu a chance de correr, simplesmente  escapou.

       No restaurante havia uma grande área central cercada com uma pequena parede. No lado de fora dessa  área, existia  um longo corredor  que levava até a porta e o Harrison que era tão pequeno na época, ficou  do outro lado da parede e mal conseguíamos vê-lo.  O restaurante inteiro parou de comer e ficaram observando a Christy correr atrás dele tentando alcançá-lo o mais  rápido que podia, e, durante todo o tempo ela  ficava sussurrando com  voz severa para que  ele parasse de correr. Eles achavam que ela estava louca porque somente conseguiam  vê-la falando sozinha, percorrendo todo o lugar. Ao seguir o corredor, Harrison dava a volta por todo o restaurante e aquele corredor acabou levando-o ao início da sua aventura e lá estava eu, esperando-o para o capturar.

       Sinto falta desses momentos quando as crianças eram pequenas e acabavam adicionando aventuras em nossas vidas. Todos os pais conhecem  a diversão de perseguirem seus filhos amados através de uma multidão de estranhos. Devemos dar o suficiente do nosso tempo e da nossa paciência,  para ajudarmos os nossos filhos a aprenderem a respeitar e a obedecer autoridades em suas vidas.     Queremos que eles aprendam a importância  do respeitar pais, professores, treinadores, policiais, oficiais ou qualquer outra autoridade.

       Afinal,  pelo resto de suas vidas,  viverão sob algum tipo de autoridade e aqueles que não aprendem isso, geralmente acabam se chocando com determinadas autoridades e terminam em problemas. Na verdade, um dos sinais de maturidade em nossos filhos é vê-los  sendo capazes de compreender e submeter-se às autoridades competentes em suas vidas.

       Em algum momento da nossa caminhada, acabaremos sob a autoridade suprema de Deus e aprenderemos o importância da submissão.

        Algumas pessoas olham para a liderança de Deus como se Deus fosse Aquele que os forçasse a realizar tarefas difíceis, impondo-lhes  a Sua opinião e a Sua vontade, e que traz uma dura punição para  toda pessoa que se atreva a desobedecer-Lhe nas mínimas instruções. Outros O veem como um vento suave de passividade, que sempre aceitará e aprovará todas as escolhas que eles fizerem.

       A maneira como definimos autoridade tem um efeito muito significativo na maneira de vermos a Deus. A nossa capacidade de entendermos o Seu amor por nós, também afeta muitíssimo a nossa vontade de nos submetermos à Sua liderança.

       Não se engane, Deus está muito interessado em liderar seus passos; Ele deseja dar-lhe instruções pessoais e uma direção. Deus quer ser a única Voz em nossas vidas, Ele quer ser o único a receber a nossa adoração, o Seu Nome é Zeloso.

       Em Êxodo 34: 13-14 está escrito: "Mas derribareis os seus altares, quebrareis, as suas colunas e cortareis os seus postes-idolos ( porque não adorarás outro deus; pois o nome do Senhor é Zeloso; sim, Deus zeloso é ele).
          É muito importante observarmos que Deus também nos pede para chamá-lo de Pai! Isso é crucial para entendermos o significado de termos Deus como Pai e o tanto que  Ele deseja estar em nossa vida. Afinal, nascemos Dele, e agora Ele quer que vejamos a importância  da Sua autoridade em nossa vida como Pai. Eu sei que muitas pessoas não têm usufruído de um pai saudável neste mundo, mas um pai bíblico é uma bela imagem de uma  real autoridade.

       A escritura me ensina como devo agir no papel de um bom pai com relação aos meus filhos, e é a mesma maneira que Deus faz conosco. Deus como Pai, demonstra o amor e a paciência que um bom homem tem, em buscar  a maturidade e o sucesso de seus filhos. Esse homem não provoca os seus filhos, como lemos em Efésios 6: 4: "E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor."

       Um pai bíblico não vive para si mesmo, mas para alimentar, proteger e guiar a  sua família para a vontade de Deus. Ele ensinará os seus filhos,  vivendo diante deles como um exemplo; ele irá amá-los e também irá discipliná-los, cultivando os seus melhores interesses em seus corações.

        Para saber exatamente quem Deus quer se tornar na sua vida, vejamos o que está escrito em Romanos 8:15: Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba,Pai". Embora todos os nomes de Deus sejam importantes, acredito que esse é um dos mais significativos. A melhor definição do nome "Abba" é a palavra "papai".

       Quando meus filhos estavam aprendendo a falar, Christy e eu competíamos, para ver qual nome eles iriam pronunciar primeiro: se eles diriam "mamãe" ou "papai". Confesso que tentei o meu melhor junto aos meus dois filhos, falando e cantando "papai", repetidamente, mas ainda assim, "mamãe" sempre foi pronunciado primeiro.

       Todos os pai não gostam de imaginar o dia em que os seus filhos passarão a chamá-los de "pai" , de  "mãe", porque isso representará o momento em que eles deixarão a fase da infância para trás.

       Por favor, entenda que Deus quer que você permita a Sua autoridade em sua vida como uma criança pequena que olha para o seu pai amoroso e estende os braços para serem abraçados e diz "papai".

       Quando eu era jovem no Senhor,  aprendi a ouvir a Sua voz, mas eu não tinha a capacidade de realmente caminhar em obediência junto a Ele,  até o instante em que  aprendi a receber do Seu amor como meu Papai. Eu poderia chamá-lo de "o Grande  Eu Sou", "Deus" ou mesmo "Pai", mas para dizer, verbalmente, o nome "Papai" isso  levou tempo e obrigou-me a chegar a um lugar de rendição, cedendo a Ele por meio de uma confiança quase infantil.

       Obediência tornou-se mais do que apenas fazer o que me ensinaram e tornou-se uma aventura em aprender a ser amado e guiado por alguém que eu verdadeiramente confiava, mais do que em qualquer um, até em mim mesmo. A Sua correção sempre veio de forma suave e amorosa, nunca de maneira terrível.  Para Ele, também não é uma simples questão de ouvir e obedecer, mas inclui muito mais. Abrange um relacionamento íntimo e de  amadurecimento, que nos encoraja e nos transforma  na pessoa que Ele deseja que nos tornemos na realidade. Isso nos leva a abraçarmos o Seu plano para a nossa  vida e significa nos rendermos à Sua vontade.

       Há tantas coisas maravilhosas e incríveis em nosso futuro. Posso dizer-lhe, que Deus me trouxe à memória, alguns "restaurantes do meu passado" onde Ele me cercava com a Sua gentileza e Suas  armas de rendição. Foi com esse amor que meu Pai me persuadiu a confiar Nele mais e mais, a cada dia. Ele é mais do que nosso Pai, Ele é o nosso Papai,  Ele acredita em nós!

Seu amigo,

                                                                      Alan Taylor

Imprimir